sábado, 1 de maio de 2010

Heresia do amor

 
Foto pessoal, 2009.
 
Heresia do amor
 
Eu canto o amor! O amor, tão loucamente, quero!
Fascínio e colibri, teu verbo em mim cativo,
faz jura do pecado. Incandescente fero,
jaguatirica fêmea, o verso assim cultivo.
 
Eu canto o amor! O amor, tão loucamente, quero!
Às fragas do infinito, um frenesim altivo
desliza ao triste fado. Instigo anil bolero,
que danço entrecortado a um pranto sem motivo.
 
Em meu candente beiço há beijo e só tormento.
Se burlam versos meus, sacrário vil - expiro,
cavalgo à luz do sol, sou flor sutil - lamento!
 
Infrinjo as leis da paz, sou hóstia do momento.
Anseio um louco amor, traduzo-me em suspiro
e a súplica do orgasmo exaro ao firmamento!
  
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Cabo Frio, 4 de março de 2010 – 7h4
Reeditado em 10 de dezembro de 2016
Fundo musical: ♥Diana Krall. The Look Of Love♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário